Embora exista clara empolgação com a descoberta, feita pelo projeto Noah’s Ark Scans, o relatório evita cravar que a “anomalia” seja realmente a embarcação descrita no Antigo Testamento, apesar de reiterar que as “linhas paralelas e ângulos retos abaixo da superfície”, são “algo que você não esperaria ver em uma formação geológica natural”. A “formação do barco” também tem o “comprimento exato” da arca descrita na Bíblia, que é cerca de 150 metros, ou 300 côvados em termos bíblicos.