Um atleta que perdeu o braço direito em um atropelamento sonha em participar da Paralimpíada em 2024, que acontecerá em Paris, na França. David dos Santos chegou a disputar a primeira etapa da Copa Brasil de Paraciclismo focado em ir para Tóquio, mas ficou em oitavo lugar.

Em 2013, o ciclista estava na avenida Paulista, quando foi atropelado por um estudante de psicologia, que fugiu do local levando o braço direito de David e o jogou em um córrego. O estudante Alex Siwek foi condenado, mas cumpriu apenas 11 dias de prisão em regime fechado e outros dois anos em semiaberto.

Em casa, o esportista tem um quarto só com as conquistas das últimas competições: medalhas, troféus, camisas e o material de treinamento. Após o acidente, ele passou a treinar com o sonho de disputar competições internacionais. O atleta conta que a força para tamanha superação é encontrada na família, com o filho Dylan de cinco meses e a esposa, com quem é casado há cinco anos.

A rotina de treinamentos começa cedo na academia perto de casa, na cidade Júlia, localizada na periferia da zona sul de São Paulo. Ele fortalece os músculos e testa a velocidade de pedalada. Aos finais de semana, treina rapel com a esposa no Guarujá, litoral paulista.

Outra forma de praticar acontece enquanto trabalha. David pedala até 50 quilômetros diariamente fazendo entregas na região metropolitana. "A gente tem que lutar para ter o pão, sair todo dia para trabalhar", conta ele.

Atualmente, David procura ajuda para se dedicar inteiramente ao esporte, que é sua paixão, e espera levar uma medalha da próxima Paralimpíada para casa.