A Polícia Civil de Goiás montou uma força-tarefa de caráter multidisciplinar para investigar os casos de abuso e violação sexual mediante fraude perpetrados pelo médico ginecologista Nicodemos Júnior Estanislau Morais, de 41 anos. A força-tarefa conta com psicólogos e outros profissionais da saúde.

Até o momento, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Anápolis ouviu 41 vítimas. Uma delas prestou declarações nessa quarta-feira (29) e relatou que foi alvo de abusos quando tinha 12 anos, motivo pelo qual o médico será investigado também por estupro de vulnerável.

O médico foi preso ontem (29), em Anápolis, durante a deflagração da Operação Sex Fraud, da Deam de Anápolis. Foram cumpridos mandados de prisão preventiva e busca e apreensão.

Segundo os relatos, ele se valia, por exemplo, de momentos em que fazia exames como a ultrassom endovaginal, para ter uma conduta não condizente com o momento. Na capital federal, o médico tem sentença condenatória por violação sexual mediante fraude, sendo que a vítima relatou o mesmo modus operandi relatado pelas vítimas goianas.

Devido à atuação profissional do investigado em outros estados, podem existir outras vítimas. Por esse motivo, a imagem está sendo divulgada, de acordo com Portaria da Polícia Civil de Goiás nº 547/2021 e Lei 13.869.

O post PCGO monta força-tarefa para investigar ginecologista suspeito de abusos sexuais apareceu primeiro em Policiamento Inteligente.