O sistema do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Paraná recebeu atualizações importantes nos últimos meses para agilizar o atendimento aos pacientes. A iniciativa é uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde e a Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar). As atualizações já estão em funcionamento. 

A primeira mudança refere-se a situações de instabilidade de conexão com a Central de Regulação do Samu. A solução tecnológica implantada permite que os dados fiquem seguros e funcionem mesmo que o sistema esteja sem a conexão com a internet (offline). Já o segundo módulo cria uma nova interação entre o Samu, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e a Central de Regulação de Leitos, o que dinamiza os atendimentos às ocorrências.

O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, falou sobre a parceria e as melhorias no sistema. “O serviço de urgência e emergência do Paraná já é exemplo nacional em salvar vidas e toda atualização que permita ainda mais agilidade no atendimento à população é de extrema importância”, disse.

Segundo o diretor de Gestão em Saúde da Secretaria, Vinicius Filipak, as novidades no sistema aumentam a segurança assistencial. “Isso impacta, inclusive, na diminuição de mortalidade e, ao mesmo tempo, eleva a confiança do cidadão nos serviços prestados pelo Estado”, afirmou.

Para o presidente da Celepar, Leandro Moura, o uso da tecnologia na área da saúde vem ao encontro de uma das premissas da empresa, que é preservar vidas. “Por meio de iniciativas como essa é possível trazer mais agilidade aos atendimentos e facilitar o trabalho dos profissionais da saúde. E isso pode fazer a diferença na vida de pacientes que necessitam de assistência de forma urgente”, afirma.

AUTOMATIZAÇÃO OFFLINE – A solução que detecta quando o sistema do Samu fica offline funciona de maneira automática e exibe na tela dos usuários a lista de todas as ocorrências em andamento durante o momento da instabilidade. Dessa forma, os servidores têm acesso às informações necessárias para prosseguirem com o atendimento.

Quando a situação se normaliza e o sistema fica ativo novamente, também é possível transcrever as ocorrências registradas em papel para a plataforma, mantendo os dados de todos os chamados. O novo módulo está disponível para as 11 Centrais de Regulação Samu do Paraná, beneficiando profissionais de saúde e pacientes.

“As funcionalidades do Samu offline permitem que, quando ocorra alguma falha técnica, aquele atendimento seja recuperado via sistema, o que aumenta a segurança e melhora a resposta por parte do médico para os pacientes que necessitam de atendimento”, explicou Filipak.

INTEGRAÇÃO COM UPAS – Já o módulo de integração ajuda a diminuir o volume de chamadas para o telefone 192, utilizado pela população e profissionais da área da saúde para solicitar o serviço. Com menos chamadas, o atendimento por este canal fica mais rápido. Além disso, o sistema integrado às UPAs facilita o gerenciamento da demanda.

Quando as UPAs solicitam o serviço de transporte, o médico da unidade tem acesso a uma interface, na qual descreve as informações do paciente, gerando a ocorrência. O sistema Samu então identifica qual médico regulador está menos ocupado e direciona para a interface dele, prosseguindo o atendimento.

Dessa forma, o acesso às informações fica mais completo e ágil, sem a necessidade de utilização do 192. Esta opção de integração também possibilita a recuperação de solicitações realizadas por meio do Programa Care Paraná – Sistema Estadual de Regulação de Leitos. A UPA recupera a solicitação com todas as informações já preenchidas e envia ao Samu.

SAMU E SIATE – O Samu é acionado pela população no telefone 192 e atende emergências clínicas, como dores no peito que surgem repentinamente, que podem ser sintomas de problemas no coração, intoxicação com produtos de limpeza e envenenamento, perdas de consciência, desmaios, hemorragias e crises de convulsão. Também realiza atendimento de urgências clínicas e traumas.

Já o Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) é acionado pelo telefone 193 e destina-se restritamente a traumas e ferimentos, em casos como acidentes de trânsito com um ou mais feridos, ferimentos de arma de fogo ou arma branca, agressão, quedas com ferimentos e fraturas, ataques de animais, como cães e abelhas, choques elétricos graves, afogamentos e queimaduras (calor, substâncias químicas).

Fonte: Agência Estadual de Notícias