Agricultores cristãos são banidos de comércio por suas crenças sobre o casamento

Steve e Bridget Tennes com seus filhos


Os proprietários de uma fazenda chamada Country Mill Farms, em Michigan, Estados Unidos, foram banidos do mercado de comércio local em 2016 por causa de suas crenças bíblicas sobre o casamento, agora estão recorrendo ao tribunal federal do país.

Steve e Bridget Tennes operam seu pomar em Charlotte e realizam casamentos em sua fazenda, como também costumava montar um estande no East Lansing Farmer’s Market para vender seus produtos, mas as autoridades decidiram puni-los porque acreditam que o casamento é entre um homem e uma mulher. 

Os advogados da Alliance Defending Freedom (ADF) dizem que as autoridades municipais em East Lansing passaram a perseguir a família Tennes depois que eles fizeram um comentário sobre o casamento em um post no Facebook.

“De repente, senti que não podíamos nem acreditar no que queríamos acreditar. Tínhamos que ficar quietos”, explicou Bridget.

A luta da família começou em 2017, quando um juiz federal emitiu uma liminar obrigando a cidade a permitir que a família Tennes participasse do mercado de produtores. O juiz também disse que a cidade provavelmente violou seus direitos religiosos e de liberdade de expressão.

Na época, o prefeito de East Lansing, Mark Meadows, observou que a decisão temporária cobriu apenas a temporada de mercado de 2017. Ele também disse que a cidade se opõe à “tomada de decisão corporativa” de Tennes, não às suas crenças religiosas.

Mesmo assim, as autoridades municipais afirmaram que a expressão de Tennes entrava em conflito com as visões do casamento de East Lansing e sua nova política de mercado.

A política exige que os fornecedores concordem em cumprir a “Portaria de Relações Humanas e sua política pública contra a discriminação no mercado e como prática geral de negócios” da cidade. 



Source link