Primeiras doses da vacina chinesa CoronaVac chegam a São Paulo

0
26


O governo de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (9) que 120 mil doses da Coronavac vão chegar ao estado no dia 20 de novembro. O imunizante contra a covid-19 está em produção pelo laboratório chinês Sinovac e, no Brasil, tem parceria com o Instituto Butantan. No mesmo dia, o Ministério da Saúde (MS) informou que analisa a possibilidade de compra de todas as vacinas em estudo avançado, inclusive a do laboratório Pfizer. Segundo a fabricante, a substância teria apresentado 90% de eficácia. 

::Politização da vacina desinforma e prejudica o combate ao coronavírus::

Durante a divulgação da data de chegada das primeiras doses da Coronavac, o governo de São Paulo ressaltou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia autorizado o processo. Existe ainda a expectativa de que até 30 de dezembro o estado tenha recebido as seis milhões de vacinas prontas que foram acordadas com o laboratório Chinês.

Outras 40 milhões de doses serão envasadas no Brasil pelo Instituto Butantã. Uma nova fábrica será construída para produção no país. De acordo com o governo do estado, a estrutura estará pronta até setembro de 2021. A CoronaVac ainda não tem registro para aplicação, mas já está na terceira fase de testes, com voluntários humanos. O imunizante é ponto central de uma disputa política entre o governador João Doria (PSDB) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que desautorizou o Ministério da Saúde a adquirir o produto.

::Relembre: Bolsonaro polemiza e atrasa debate sobre a imunização contra o coronavírus no Brasil::

A pasta, no entanto, revelou nesta segunda-feira (9), que avalia todas as substâncias em pesquisas avançadas. Segundo o ministério, são mais de 250 iniciativas em monitoramento. Em nota, o órgão afirmou que “todas as apostas necessárias serão feitas para achar uma solução efetiva, em qualidade e quantidade necessárias para imunizar a população brasileira.”

De acordo com o texto divulgado pelo MS, as análises incluem o imunizante da Pfizer. As informações de que o produto tem 90% de eficácia são baseadas em em dados iniciais dos ensaios clínicos. No Brasil, mais de 3 mil voluntários fazem parte dos testes, que estão sendo aplicados na Bahia e em São Paulo. Antes mesmo do Ministério se pronunciar, um porta voz do próprio laboratório declarou que o governo federal negocia a possibilidade de compra do imunizante. 

Números da covid no Brasil

Nesta sexta-feira (6), o total de mortes causadas pela covid-19 no Brasil chegou a 162.628. Em 24 horas foram confirmados 231 óbitos, segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Os números não englobam dados de São Paulo, pro problemas técnicos no acesso à base de dados, de acordo com o Conselho. Desde fevereiro, 5.675.032 pessoas foram contaminadas pelo coronavírus no Brasil. Em um dia, houve registro de 10.917 novos pacientes.

O que é o novo coronavírus

Trata-se de uma extensa família de vírus causadores de doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em humanos os vários tipos de vírus podem provocar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns, como a síndrome respiratório do Oriente Médio (MERS), a crises mais graves, como a Síndrome Respiratória Aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19.

Como ajudar quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Edição: Rodrigo Chagas



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here