Oxford e AstraZeneca interrompem testes de vacina por efeito adverso grave – Sul 21

0
92
Oxford e AstraZeneca interrompem testes de vacina por efeito adverso grave   Sul 21
Oxford e AstraZeneca interrompem testes de vacina por efeito adverso grave Sul 21

Testes com vacina foram interrompidos. Foto: Governo de São Paulo

Da Revista Fórum

A Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca anunciaram nesta terça-feira (8) a interrupção dos testes da vacina contra o novo coronavírus. Ela estava na Fase 3 de testes e era apontada como a de estágio mais avançado.

“Esta é uma ação de rotina que deve acontecer sempre que houver uma doença potencialmente inexplicada em um dos ensaios, enquanto ela é investigada, garantindo a manutenção da integridade dos ensaios. Em grandes ensaios, as doenças acontecerão por acaso, mas devem ser revisadas independentemente para verificar isso com cuidado”, disse comunicado da empresa.

Segundo a Revista Veja, o anúncio foi feito logo após o fechamento dos mercados. Mesmo assim, o abalo foi grande e foi registrada uma queda de 6% nas negociações pós-fechamento.

A vacina de Oxford é uma três que possuem acordos no Brasil e aprovação para testes. Além dessa, que firmou parceria com a Fiocruz, a CoronaVac, da chinesa Sinovac, e a vacina da Pfizer fazem testagens no país.

Nesta terça, o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, afirmou que pretende realizar uma vacinação massiva em janeiro. A de Oxford era a preferida do governo.