Porto Alegre promete rastrear familiares de pessoas com covid-19, mas uso de teste rápido pode comprometer medida – Sul 21

0
23
Porto Alegre promete rastrear familiares de pessoas com covid 19, mas uso de teste rápido pode comprometer medida   Sul 21
Porto Alegre promete rastrear familiares de pessoas com covid 19, mas uso de teste rápido pode comprometer medida Sul 21

O Instituto de Ciências Básicas da Saúde da UFRGS realiza teste de RT-PCR, o exame indicado para rastrear familiares de pessoas com covid-19. Foto: Flávio Dutra

Luciano Velleda

A Prefeitura de Porto Alegre anunciou, nesta quarta-feira (15), que iniciará a testagem de familiares de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus, mesmo que esse parente não apresente sintomas. A medida é considerada a principal estratégia de países que conseguiram controlar a epidemia, como Alemanha e Coreia do Sul, ao fazer o chamado rastreamento de casos e, assim, identificar e isolar uma pessoa contaminada antes que ela possa infectar outras. Com isso, ocorre a “quebra” da cadeia de contaminação do vírus.

“Vamos avançar no rastreamento de contatos familiares, mesmo que não tenham sintomas. Já havíamos ampliado a testagem para profissionais da linha de frente, idosos em casas geriátricas e toda a população com sintomas gripais. São medidas pra mitigar a cadeia de transmissão”, anunciou o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) na última quarta-feira (15), durante transmissão por rede social, acompanhado do secretário municipal da Saúde, Pablo Sturmer, e do secretário-adjunto da Saúde, Natan Katz.

A orientação da Prefeitura nessa nova fase é que os parentes realizem o teste após 20 dias da confirmação do caso positivo na família. Isso porque o teste que será aplicado é o sorológico, capaz de detectar anticorpos e, assim, revelar que a pessoa teve contato com o vírus. “Esses 20 dias vão garantir que, se a pessoa fizer o teste e tiver o coronavírus, o resultado será positivo. Se a gente faz o teste no momento inadequado, o teste vem negativo não porque a pessoa não tem o coronavírus, mas porque não fez o teste no momento certo”, explicou Natan Katz. “A intenção é interromper a cadeia de transmissão do vírus na cidade”, destacou.

O secretário-adjunto enfatizou ser essencial que as pessoas que residam com casos confirmados fiquem em casa por 14 dias a partir do início do sintoma do familiar. “Se iniciar sintomas, o familiar deve procurar uma unidade de saúde ou tenda para encaminhar a coleta do exame RT-PCR. Em caso de ser assintomática, a pessoa deve procurar atendimento após 14 dias de isolamento.”

O problema da nova estratégia do governo Marchezan é que o rastreamento realizado pela Alemanha e Coreia do Sul, usado como exemplo pela Prefeitura, foi com o exame de RT-PCR, que detecta o vírus na fase ativa, e não com o teste de anticorpos (o teste rápido). Isto porque caso o familiar esteja contaminado e, sem sintomas, não obedeça a orientação de se isolar por 14 dias, ele pode passar o vírus para outras pessoas.

“O teste de RT-PCR te dá a informação do presente, o outro (sorológico) te dá a informação do passado”, explica o epidemiologista Ricardo Kuchenbecker, Gerente de Risco do Hospital das Clínicas. “Todos os países que apostaram na estratégia de rastrear contatos, como a Alemanha e a Coreia do Sul, trabalharam com RT-PCR. Rastrear a cadeia de transmissão do vírus é algo que a gente faz com o RT-PCR. O teste de anticorpos, além de ter que aguardar, ele também não te permite isolar os contatos. Como estratégia de rastreamento de contato, a informação vai ser tardia.”

Kuchenbecker explica que o teste RT-PCR, feito por meio da coleta da mucosa nasal, também tem o tempo certo para ser realizado, entre 4 e 5 dias após contato com a pessoa contaminada. Se feito antes, mesmo que o indivíduo esteja infectado, pode não haver quantidade suficiente do vírus na mucosa nasal e o resultado ser um falso negativo.

Para o médico, uma hipótese para a Prefeitura não usar o RT-PCR para rastrear os possíveis familiares contaminados talvez seja o receio de faltar testes, reservando-os às pessoas que têm sintomas. Desde o início de maio, a Prefeitura diz que tem testado com RT-PCR todas as pessoas que procuram o sistema de saúde com sintomas de covid-19.

Atualmente, a Prefeitura informa ter capacidade técnica de analisar até 1.620 testes de RT-PCR por dia. No início da pandemia, os testes foram reservados apenas às pessoas hospitalizadas e profissionais de saúde. Depois, passaram a ser aplicados em grupos acima de 60 anos, profissionais das forças de segurança e moradores de residenciais geriátricos. Desde maio, houve então a ampliação para todos os sintomáticos.

Para ter acesso aos testes, o governo municipal orienta a população a procurar os postos de saúde ou as seis tendas de atendimento de casos suspeitos de covid-19, localizadas próximo aos pronto-atendimentos Bom Jesus, Cruzeiro do Sul e Lomba do Pinheiro e aos hospitais Restinga Extremo-Sul e Vila Nova, além do Grupo Hospitalar Conceição. É preciso apresentar CPF ou cartão SUS do familiar que teve a confirmação da doença e informar a data de início dos sintomas desse familiar.

Apesar de ver avanço na ampliação da testagem de familiares assintomáticos, do ponto de vista da estratégia de rastreamento e interrupção da cadeia de transmissão do vírus, Kuchenbecker reforça que o melhor é usar o teste que detecta o vírus ainda ativo. “Como forma de diagnóstico e para investigar surtos, casos graves e contatos, a melhor estratégia é o PCR”, conclui o Gerente de Risco do Hospital das Clínicas.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here