Fim da quarentena restritiva no Paraná é explicado por Beto Preto

0
26
Fim da quarentena restritiva no Paraná é explicado por Beto Preto
Fim da quarentena restritiva no Paraná é explicado por Beto Preto

O secretário estadual de saúde, Beto Preto, explicou os motivos pelos quais o governo decidiu encerrar, nesta terça-feira, a quarentena restritiva que atingiu sete regionais de saúde do Paraná, como medida para evitar o aumento de casos de coronavírus no estado. Segundo ele, entre os fatores que contribuíram para a decisão está o desrespeito ao isolamento social da população.

Viu essa? Após protesto de 50 horas acorrentado, Caixa negocia acordo com dono de bar

Dados como número de casos, óbitos e leitos disponíveis por macrorregião para o enfrentamento ao SUS também serviram como base para a decisão. “Entendemos que existe sim uma subida e a tomada de decisão pela quarentena restritiva se deu nos 15 dias anteriores, quando o quadro era um pouco menor. Fizemos a quarentena, tivemos uma desaceleração da curva. Se for necessário entrar com um novo decreto estadual, vamos fazê-lo. Nossa força é o convencimento”, disse o secretário em entrevista ao Meio Dia Paraná desta quarta-feira, na RPC.

+Leia mais! Deputados pretendem concorrer à prefeitura de Curitiba em 2020. Veja!

A quarentena restritiva, que era válida para as regionais de Saúde de Londrina, Cascavel, Cornélio Procópio, Toledo, Cianorte, e Grande Curitiba, acabou justamente no dia em que o Paraná registrou o maior número de mortes em 24 horas, assim como Curitiba.

Entra no contexto do fim da quarentena restritiva a baixa adesão do isolamento domiciliar. Segundo o secretário, o melhor número foi de 41%, sendo que o melhor número seria 51%. “O decreto teve valor, ele aconteceu, mas a adesão da população não foi total. Estamos tomando medidas, insistido no isolamento e vivendo nessa linha tênue. Temos que cuidar para não perder o controle com algum passo em falso”, alertou.

Assomec definirá RMC

Uma reunião entre prefeitos da região metropolitana e representantes da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) definirá como será o combate ao coronavírus na grande Curitiba. Segundo Beto Preto, a bandeira laranja deve seguir. “Eles têm tomado boas decisões e boas ações. Tenho certeza que vamos ultrapassar, pois todos estamos na mesma linha”, disse.

Nesta quarta-feira (15), Márcio Wosniak, prefeito de Fazenda Rio Grande e presidente da Assomec, afirmou que a população (comerciantes e clientes) precisam se cuidar neste período de reabertura do comércio, com as medidas já citadas desde o começo da pandemia, como uso de máscaras, higienização das mãos e distanciamento.

+Leia também! Quem são os pré-candidatos à Prefeitura de Curitiba nas eleições de 2020?

Juntos podemos fazer mais.

Esse conteúdo foi produzido da forma como a Tribuna sempre pensou, colocando as pessoas em primeiro lugar. Neste cenário de pandemia, estamos ainda mais comprometidos em trazer informação útil e histórias positivas para a sociedade. Você pode fazer parte essa missão apoiando o nosso jornal com uma doação de qualquer valor. Quero apoiar

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here