Chainlink integra-se à rede social liderada por pioneiro em computação distribuída

0
44
Chainlink integra se à rede social liderada por pioneiro em computação distribuída
Chainlink integra se à rede social liderada por pioneiro em computação distribuída

A Revolution Populi, uma rede social liderada por David Gelernter, um futurista e pioneiro em computação distribuída, está integrando oráculos de dados Chainlink (LINK).

Revolution Populi está tentando substituir o Facebook criando uma rede social onde os usuários podem postar e compartilhar informações sobre suas vidas”, mas os anunciantes pagam a eles, não ao Facebook”. A rede é apenas o primeiro de muitos aplicativos distribuídos que a empresa planeja lançar em um futuro próximo.

Um futurista que previu redes sociais e se tornou um alvo do Unabomber

A ideia em si não parece nova, pois houve alguns projetos no espaço cripto que tentaram devolver a propriedade dos dados aos usuários. No entanto, talvez o aspecto mais interessante do projeto seja o fato de David Gelernter servir como diretor visionário.

Gelernter fez seu nome nos anos 80 por meio de suas contribuições ao campo da computação paralela. Mais tarde, em 1991, ele publicou um livro “Mirror Worlds”, que prenunciava o desenvolvimento da World Wide Web, incluindo o fenômeno das redes sociais. A aclamação provavelmente atraiu a atenção indesejada de Ted Kaczynski, o Unabomber. Em 24 de junho de 1993, Gelernter foi gravemente ferido ao abrir um pacote cheio de explosivos.

Três pernas do banquinho

O CEO da empresa, Rob Rosenthal, disse ao Cointelegraph que a rede social é apenas uma das três pernas do banco que está construindo:

“É bastante desagradável que eles tomem nossa propriedade soberana, a vendam e mantenham todo o dinheiro. Mas existem problemas muito maiores por aí. Quero dizer, é a praça pública. Eles controlam tudo nesta praça pública. Como você mencionou, os dados residem no banco de dados privado. A propósito, não é apenas uma rede social. É um ecossistema. ”

As outras duas partes são o banco de dados descentralizado, que será estruturado como uma organização autônoma descentralizada ou DAO, e a terceira parte é a troca ou mercado de dados.

A empresa revelará sua própria blockchain nas próximas semanas, que servirá como a espinha dorsal do “banco”. Rosenthal também foi rápido em enfatizar que Gelernter está ativamente envolvido nas atividades diárias da empresa, ele projetou a interface do usuário para o aplicativo de rede social.

Um novo domínio para o Chainlink

Rosenthal acredita que a integração do Chainlink não fornece apenas uma camada necessária ao seu projeto, mas pode ajudar a ampliar seus horizontes:

“Acho que eles foram injustamente criticados no mundo DeFi. Eu acho que a tecnologia deles pode se espalhar para outros projetos, como o nosso, que são mais amplos e mais ecossistêmicos. Conversei com os caras, acredito que eles estão muito animados com essa integração, porque os leva a outro tipo de domínio.”

Rompendo com a tendência recente, a Revolution Populi planeja realizar uma oferta inicial de moedas no quarto trimestre de 2020. Rosenthal não quis divulgar muitos detalhes, mas observou que será totalmente compatível.

Recentemente, o token LINK vem estabelecendo novos patamares com base em várias parcerias e integrações.

Leia mais:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here